Não sou quem realmente quero ser.

Tornei numa rapariga mais fria,
até mesmo egoísta.
E parece mais facil ficar assim
do que arriscar a retroceder,
a recuperarme a mim mesma,
a ter um rencontro com quem cheguei a ser.
Sinto vergonha de fazer coisas
que nunca teria acreditado em mim,
sinto dor por magoar a quem mais quero neste mundo
e a não dar um amor puro, sano, livre de medos.
Sempre faço as mesmas perguntas,
continuo com as mesmas duvidas,
por não acreditar nas respostas.
Mas deveria ter a certeça
de que só aquele que sabe perdoar
ama com toda a força do mundo.
Só aquele que acredita na possibilidade
de me poder recuperar,
de voltar a olhar-me e ver á rapariga que fui,
só ele pode ser quem de me amar de verdade.
E eu não ouço, não reparo, não da para ver,
por não saber ouvir, nem ver.
Anuncios